A fé aos 20: “Fé que leva a servir”

Alberto é argentino e estuda na Universidade. Sua fé cristã o leva a pensar com inquietação."Que posso fazer pelos demais?". Neste vídeo explica como tenta que sua fé se traduza em obras de serviço.

O Ano da fé

Para mim, viver a fé é ter Deus presente em tudo o que faço: quando faço umas pizzas para uns amigos, quando jogo futebol, quando estudo… em todos os momentos.

Uma forma concreta de poder viver essa fé com os demais é lutar por ser um cristão coerente no ambiente que estou. Assim, pela manhã rezo um momento e no domingo, como sou cristão, vou à Missa. Depois luto por viver bem na partida de futebol mesmo que as vezes erre e aborreço-me com o juiz. Procuro começar de novo quando erro. Tento ter essa unidade de vida em tudo o que faço.

“O sacrifício de passar tantas horas fazendo a massa vale a pena, porque teus amigos dão muito valor e o desfrutam mais ainda.

Empenho-me por servir meus amigos de diferentes formas. Tenho que esforçar-me, obviamente. Às vezes eles me fazem algum favor E eu às vezes também tento servi-los. Estamos aqui fazendo umas pizzas para uns amigos que vem comer hoje a noite. Trato de pensar no bem estar que vão passar e no que vamos passar juntos. O sacrifício de passar tantas horas fazendo a massa vale a pena, porque teus amigos dão muito valor e o desfrutam mais ainda.

“Também nessas coisas, que são talvez as que mais esforço custam, tenho que empenhar-me por fazê-las bem.

Às vezes se passa que quando vai à casa de um amigo estão todos retirando a mesa e você obviamente e levanta prontamente e ajuda e todos lhe dizem: “Que divino, que bom você é". Porém depois quando volta à sua casa, no dia a dia, Te custa a ajudar a retirar a mesa.

Bem, também nessas coisas, que são talvez as que mais esforço custam, tenho que empenhar-me por fazê-las bem. O serviço sempre se concretiza em obras, não é verdade? Por que às vezes alguém quer servir, porém não sabe a quem.

“Faz um tempo, inspirados por São Josemaria, ocorreu a alguns amigos e a mim, visitar pessoas que estão doentes ou pessoas solitárias, em um asilo.

Faz um tempo, inspirados por São Josemaria, ocorreu a alguns amigos e a mim, visitar pessoas que estão doentes ou pessoas solitárias, em um asilo. Isto nos está ajudando muitíssimo porque é uma forma concreta de ajudar todos os fins de semana, ou a cada quinze dias. Vamos visita-los, lhes perguntamos como estão, lhes contamos nossas alegrias e lhes perguntamos como estão indo, que estão lendo, se estão contentes, se estão tristes…

“Para mim, viver a fé é ter presente a Deus em tudo o que faço.

É uma forma concreta de servir aos demais Como Jesus servia aos demais. “Quanto mais generoso fores - por Deus -, mais feliz serás. São Josemaria. Sulco, 18.