Um mundo de milagres

"Un mondo di miracoli" — Um mundo de milagres — é o título de um livro que será lançado proximamente, contendo 19 curas extraordinárias atribuídas à intercessão do Bem-aventurado Josemaría Escrivá. O volume, cujo autor é Flavio Capucci, Postulador da Causa de Josemaría Escrivá, será publicado na Itália pela Editora Ares, de Milão.

Questões históricas

O livro narra uma cura inexplicável acontecida no dia 17 de maio de 1992, durante a cerimônia de beatificação de Josemaría Escrivá. Naquela manhã, um menino de 7 anos, que desde os 4 anos sofria de crises frequentes de hipertensão por causa de um estreitamente da artéria renal — irreversível, segundo a medicina —, estava com o seu pai numa praia do norte da Espanha. Enquanto isso, sua mãe, que acompanhava pela televisão a cerimônia de beatificação de Josemaría Escrivá, começou a rezar com intensidade pela cura do filho. Movida por um impulso materno, pediu: “Faça com que se cure agora mesmo, neste momento”. E assim aconteceu: naquele instante, um calafrio sacudiu o menino na praia e, quando voltou para casa, comprovou-se que estava curado.

Começou a andar normalmente

No mesmo dia, aconteceu outro dos casos recolhidos no livro. A pequena cidade de Cerdanyola, na Catalunha, foi o cenário da cura de Josep Mas, um aposentado que, em 1982, atacado por dois cachorros, caiu e fraturou a tíbia, ficando irremediavelmente manco. Dez anos depois, no dia 17 de maio de 1992, enquanto assistia pela televisão à cerimônia de beatificação de Josemaría Escrivá, rezou uma oração pedindo pela sua própria cura. Ficou de pé e percebeu que podia movimentar-se com soltura, como antes do acidente. Neste caso, as "testemunhas diretas" da cura são praticamente todos os habitantes do povoado, que conheciam a sua evidente deficiência para andar. Foi tal a surpresa dos concidadãos, que a Prefeitura concedeu a Josep Mas o título de o "homem do ano" de 1992.

Depois de um acidente

A cura de Alberto Castro, estudante universitário porto-riquenho, também é extraordinária. No dia 1º de agosto de 1993, Alberto, então com 24 anos, viajava de carro com um amigo. O veículo se chocou violentamente contra um poste de eletricidade, e Alberto ficou gravemente ferido, com uma fratura do úmero esquerdo que afetou o nervo radial, deixando a sua mão paralisada. Sete meses depois, apesar dos cuidados e operações, a imobilidade da mão continuava sendo absoluta. De acordo com os médicos, o nervo radial estava definitivamente morto. Alberto começou a rezar fervorosamente ao Bem-aventurado e, depois de vários dias, passou uma noite com algumas dores. De manhã estava completamente curado e podia movimentar a mão normalmente.

Desaparição de um cisto

Também não tem explicação natural nem científica a desaparição de um cisto para-uterino, que se formou numa mulher grávida. No oitavo mês da gravidez, o cisto chegou a ter 14 centímetros de espessura. A operação cirúrgica, que obrigava a um parto por cesariana, era inevitável. O fato aconteceu em Roma. Maria Grazia, a protagonista, tinha rezado ao Bem-aventurado Josemaría para que as coisas corressem da melhor forma possível. Na véspera da operação, diante da surpresa dos médicos, a ecografia realizada "desmentiu" todas as anteriores (de cuja evidente exatidão ninguém duvidou nunca), e mostrou o desaparecimento completo do cisto, tornando desnecessária a operação.

Devolveu-lhe o beijo

Em "Un mondo di miracoli", conta-se também a história de Paulo, um brasileiro de 35 anos, vítima, em 1993, de uma miocardite fulminante, que o deixou à beira da morte. Em 1974, durante uma viagem do fundador do Opus Dei ao Brasil, a sua mãe percebeu de longe que o seu filho, então com 16 anos, conseguira chegar até o lugar em que estava Josemaría Escrivá durante um encontro público e dar-lhe um beijo. Quase 20 anos depois daquele encontro, a mãe começou a implorar a sua intercessão para que curasse ao Paulo, "devolvendo-lhe" dessa maneira o beijo. Em 48 horas, diante do estupor dos especialistas que já o consideravam paciente terminal, Paulo recuperou-se completamente. Agora tem uma vida normal.

Uma ajuda para a vida corrente

O Bem-aventurado Josemaría é conhecido como um apóstolo da vida corrente, do trabalho de cada dia, do homem da rua. Em suma, de tudo o que é normal e corriqueiro. Ao mesmo tempo, a sua fama de santidade cresce sem cessar em todo o mundo. Muitos milhares de pessoas recorreram e recorrem a ele, como a um santo amigo e intercessor eficaz diante de Deus.