Basta começar (6): Compartilhe os seus conhecimentos

Neste vídeo vemos um grupo de jovens alemãs ajudando várias crianças a fazer os deveres de casa e mulheres do Chile e Estados Unidos que oferecem ajuda educativa a pessoas que precisam. O sexto vídeo da série sobre as obras de misericórdia mostra que "ensinar é uma bela profissão", como o Papa Francisco disse.

Jubileu da misericórdia

Algumas ideias para ajudar a aproveitar melhor o vídeo, ou usá-lo em palestras, encontros com amigos, na sua escola ou na sua paróquia.

Perguntas para o diálogo

- Você acha que, como Marina explica, é natural compartilharmos os conhecimentos que temos? Por quê?

- Quais são as razões pelas quais Anna-Lena e Clara ajudam algumas crianças a fazer os deveres de casa?

- Por que o esforço e sacrifício para receber ou dar educação vale a pena?

- A educação pode ajudar uma pessoa a mudar?

Propostas de ação

- Compartilhar com os outros o que você sabe (por exemplo, como funciona uma coisa, por que acontece algo, etc.).

- Agradecer e valorizar o papel das pessoas que se dedicam à educação: pais, professores, missionários, formadores, etc.

- Procurar formas de transmitir a fé e a doutrina da Igreja aos seus amigos e conhecidos, também através de seu exemplo.

- Pensar como cumprir os seus deveres de estado: como pai, filho, professor, estudante, instrutor, etc.

- Se você for mais velho, dedicando o tempo a pessoas mais jovens para transmitir, de forma atraente e equilibrada, a sabedoria que vem com a experiência.

- Se você for mais jovem, oferecer aos idosos a oportunidade de ensiná-los a usar as tecnologias mais recentes (eletrônica, software, internet, etc.).

Meditar com a Sagrada Escritura

— Mostra-me, Senhor, os teus caminhos, ensina-me tuas veredas. Faz-me caminhar na tua verdade e instrui-me, porque és o Deus que me salva, e em ti sempre esperei (Salmo 25, 4-5).

— Os que tiverem sido inteligentes fulgirão como o brilho do firmamento, e os que tiverem introduzido muitos (nos caminhos) da justiça luzirão como as estrelas, com um perpétuo resplendor (Daniel 12, 3).

— As multidões ficaram admiradas com seu ensinamento. De fato, ele as ensinava como quem tem autoridade, não como os escribas (São Mateus 7, 28-29).

— Quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar os outros, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus (São Mateus 5, 19).

— Filipe acorreu, ouviu o eunuco ler o profeta Isaías e perguntou: “Tu compreendes o que estás lendo?” O eunuco respondeu: “Como poderia, se Ninguém me orienta?” Então convidou Filipe a subir e a sentar-se junto dele (Atos dos Apóstolos 8,30-31).

— Com toda a sabedoria, instruí-vos e aconselhai-vos uns aos outros (Colossenses 3, 16).

Meditar com o Papa Francisco

— A conclusão do Evangelho de Mateus diz-nos que o Senhor envia os apóstolos com estas palavras: «Ensinai-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado». Este «ensinar a quem ignora» é, em si mesmo, uma das obras de misericórdia. E decompõe-se como a luz nas demais obras: nas referidas em Mateus 25, que têm mais a ver com as obras chamadas corporais, e em todos os mandamentos e conselhos evangélicos de «perdoar», «corrigir fraternalmente», consolar os tristes, suportar as perseguições, etc. (Meditação, 2 de junho de 2016).

— Educar significa «tirar». É a capacidade de extrair o melhor do próprio coração. Não se limita apenas a ensinar uma técnica ou a conferir algumas noções, mas a tornar mais humanos a nós homens e à realidade que nos circunda (Discurso, 16 de janeiro de 2016).

— Educar é uma vocação grandiosa: do mesmo modo como são José ensinou a Jesus a arte do marceneiro, assim também vós sois chamados a ajudar as jovens gerações (Discurso, 16 de janeiro de 2016).

— Ser educador é o que fez Jesus. Educou-nos (15 de janeiro de 2016, vídeo-mensagem aos participantes do 24º Congresso Interamericano de Educação Católica, realizado em São Paulo).

Meditar com são Josemaria

— Tiveste a grande sorte de encontrar mestres de verdade, amigos autênticos, que te ensinaram sem reservas tudo quanto quiseste saber; não precisaste de artimanhas para lhes “roubar” a sua ciência, porque te indicaram o caminho mais fácil, embora a eles lhe tenha custado duro trabalho e sofrimentos descobri-lo... Agora, toca-te a ti fazer outro tanto, com este, com aquele, com todos! (Sulco, n. 733)

— Educador: o inegável empenho que pões em conhecer e praticar o melhor método para que os teus alunos adquiram a ciência terrena, põe-no também em conhecer e praticar a ascética cristã, que é o único método para que eles e tu sejais melhores (Caminho, n. 344).

— Os pais educam fundamentalmente com a sua conduta. O que os filhos e as filhas procuram no pai e na mãe não são apenas uns conhecimentos mais amplos que os seus, ou uns conselhos mais ou menos acertados, mas algo de maior categoria: um testemunho do valor e do sentido da vida encarnado numa existência concreta, confirmado nas diversas circunstâncias e situações que se sucedem ao longo dos anos.(É Cristo que passa, n. 28).

— "Coepit facere et docere" - Jesus começou a fazer e depois a ensinar: tu e eu temos que dar o testemunho do exemplo, porque não podemos levar uma dupla vida; não podemos ensinar o que não praticamos. Por outras palavras, temos de ensinar aquilo que, pelo menos, lutamos por praticar (Forja, n. 694)

— Os pais são os principais educadores de seus filhos, tanto no aspecto humano como no sobrenatural, e devem sentir a responsabilidade dessa missão, que exige deles compreensão, prudência, saber ensinar e sobretudo saber amar; e que se empenhem em dar bom exemplo (É Cristo que passa, n. 27).

Textos y enlaces para seguir reflexionando

Textos sobre educação e família

Um projeto educativo em Nairobi

Sinais da misericórdia de Deus para os pobres de Mumbai

Um “Bronx” mais além da droga, delinquência e pobreza

Rio: a "Cruzada de São Sebastião"