S. Josemaria Textos diários

“Que vos deixeis ajudar, guiar, por um diretor de almas ”

Tens de amar e procurar a ajuda de quem orienta a tua alma. Na direção espiritual, põe a descoberto o teu coração, por inteiro - podre, se estiver podre! -, com sinceridade, com ânsias de curar-te; senão, essa podridão não desaparecerá nunca. Se recorres a uma pessoa que só pode limpar a ferida superficialmente..., és um covarde, porque no fundo vais ocultar a verdade, com prejuízo para ti próprio. (Forja, 128)

Causa-me uma pena muito grande saber de um católico - de um filho de Deus, chamado pelo Batismo a ser outro Cristo - que tranquiliza a sua consciência com uma simples piedade formalista, com uma religiosidade que só o leva a rezar vez por outra, quando pensa que lhe convém!; a assistir à Santa Missa nos dias de preceito - e nem sequer em todos -, enquanto cuida pontualmente de ter o estômago apaziguado, comendo a horas fixas; a ceder na sua fé, a trocá-la por um prato de lentilhas, contanto que não tenha de renunciar à sua posição... E depois, com desfaçatez ou com escândalo, serve-se da etiqueta de cristão para subir na vida! Não! Não nos conformemos com as etiquetas: eu vos quero cristãos de corpo inteiro, de uma só peça. E, para consegui-lo, tereis de procurar sem regateios o oportuno alimento espiritual.

Sabeis por experiência pessoal - e assim me tendes ouvido repetir com frequência, para prevenir desânimos - que a vida interior consiste em começar e recomeçar cada dia; e percebeis no vosso coração, como eu no meu, que precisamos de lutar com continuidade. Tereis observado no vosso exame - e comigo passa-se outro tanto; perdoai que faça estas referências à minha pessoa, mas, enquanto vos falo, vou dando voltas com o Senhor às necessidades da minha alma - que sofreis repetidamente pequenos reveses, que às vezes vos parecem descomunais, porque revelam uma evidente falta de amor, de entrega, de espírito de sacrifício, de delicadeza. Fomentai as ânsias de reparação, com uma contrição sincera, mas não percais a paz.

(...) Agora insisto em que vos deixeis ajudar, guiar, por um diretor de almas a quem confieis todas as vossas aspirações santas e os problemas cotidianos que possam afetar a vossa vida interior, os descalabros que possais sofrer e as vitórias. (Amigos de Deus, nn. 13-15)