Quem seria aquela moça que me deu a estampa de Dom Álvaro?

​Dois anos e meio desempregada. Secretária. 54 anos, separada, dois filhos sob minha responsabilidade. Hipoteca insuportável. Apesar do meu bom currículo, de ter uma família unida e religiosa, encontrava-me desempregada.

Favores
Opus Dei - Quem seria aquela moça que me deu a estampa de Dom Álvaro?

Já estava anunciando meu apartamento para alugar, ia morar com a minha filha na casa da minha mãe. Estava muito, muito desesperada. Pensava e sentia que era inútil. Que não era nada. Que estava tudo acabado.

Nessa tarde de 18 ou 19 de setembro estava orando, rezando e chorando na capela da minha paróquia. Rezava, chorava... e recomeçava a rezar.

Eu estava sozinha na pequena capela, eram 7 horas da noite. Chorava.

Então se aproximou de mim uma moça da idade de minha filha, uns 26 anos. Perguntou-me se tinha algum problema, se ela poderia me ajudar. Eu lhe expliquei, chorando, a minha situação. Então me disse que rezasse a D. Álvaro del Portillo, que ele me concederia o que pedisse, que era muito bom. E que justamente na semana seguinte seria sua Beatificação...

Eu lhe disse, chorando, que não o conhecia, mas que o procuraria. A moça me deixou a sós com minhas orações, silenciosa, tranquila e com um meio sorriso saiu da capela.

Eu fiquei um momento a mais para terminar de rezar e de chorar. Para recompor-me e sair à vida real, dura...

Ali estava a moça, na porta de fora me esperando com uma estampa de D. Álvaro del Portillo. Entregou-me e disse que rezasse a ele.

Então me agarrei àquela estampa e a meu livro de orações “Vida e Piedade”. Comecei uma novena.

Com paixão, com muita fé. Suplicando um trabalho. Voltava a rezar e a chorar...

Em 22 de outubro entrei numa empresa muito importante do IBEX 35 (o principal índice de referência da bolsa de valores espanhola), com um trabalho na minha categoria.

Depois de um ano e meio, subiram meu salário e me efetivaram. É muito perto de casa, não demoro nada de carro e volto para almoçar em casa. O ambiente é ótimo.

Isto sim foi um milagre do Bem-Aventurado Álvaro del Portillo! Agora estou na fase de dar graças, não deixo de agradecer-lhe!!

Quem seria aquela moça que me deu a estampa? Não voltei a vê-la... Muito obrigada, seja você quem for...