A rota de São Josemaria

A Associação de Empresários de Barbastro (AEB) acaba de lançar, como projeto-piloto, A Rota de São Josemaria Escrivá (1902-1975), fundador do Opus Dei, que nasceu nesta localidade do Alto Aragão, onde viveu até aos 13 anos, entre 1902 e 1915. O objectivo é integrar a cidade nas rotas de turismo religioso e, mais concretamente, nas rotas marianas.

Notícias

A Associação de Empresários de Barbastro (AEB) acaba de lançar, como projeto-piloto, A Rota de São Josemaria Escrivá (1902-1975), fundador do Opus Dei, que nasceu nesta localidade do Alto Aragão, onde viveu até aos 13 anos, entre 1902 e 1915. O objetivo é integrar a cidade nas rotas de turismo religioso e, mais concretamente, nas rotas marianas.

O projeto recebeu subvenção do anterior governo aragonês e conta com o beneplácito da comarca de Somontano, da Câmara e da Diocese de Barbastro.

Porta atual do que foi a casa de S. Josemaria em Barbastro

Os empresários querem aproveitar a proximidade do santuário mariano de Torreciudad, cuja construção foi promovida por Josemaria Escrivá, e inaugurado pouco depois de ter falecido, em 1975, visitado anualmente por mais de 200.000 peregrinos de todo o mundo.

Iniciativa da Associação de Empresários de Barbastro

"A associação de empresários entende que, com o máximo respeito pela questão religiosa e cultural, estamos a aproveitar pouco uma figura de caráter mundial para potenciar o desenvolvimento socioeconômico da cidade, mais ainda sabendo que em Torreciudad passam uns 300.000 peregrinos por ano e que quase nenhum entra em Barbastro", explica o responsável do turismo da AEB e presidente, por sua vez, da Associação de Empresários da Serra de Guara, Francisco Lacau Pascau.

O motivo, conforme explica, é que não existia uma estruturação dos lugares que marcaram a infância de Josemaria Escrivá e que podem ser atraentes para as pessoas em Barbastro. Por isso, apresentam esta rota pela primeira vez ao público com a intenção de a ir aperfeiçoando com as sugestões dos que a percorram.

Fachada do colégio dos escolápios, onde o fundador do Opus Dei estudou

Na mesma linha, o presidente da Associação de Empresários de Barbastro, José Antonio Pérez Asensi, sublinha que a rota se propõe dinamizar o comércio na cidade, procurando que todo o turismo que Torreciudad atrai e que passa perto de Barbastro, entre e conheça a cidade.

"O que esperamos é que uma parte dessas pessoas que já vão a Torreciudad passe por Barbastro", salienta Pérez Asensi, que considera que, se no próximo ano conseguirem atrair 1.000 pessoas, a iniciativa terá sido um êxito. Trata-se de um projeto que pretende assemelhar-se ao promovido em Itália na cidade de Assis em torno da figura de São Francisco de Assis, tal como comenta.

Prevê-se que a rota de S. Josemaria esteja a operar normalmente a partir da Primavera de 2016, como embrião para a criação de um espaço histórico ou centro de interpretação em torno da figura do fundador do Opus Dei.

O bispo de Barbastro-Monzón, D. Ángel Pérez, também considera esta iniciativa "extraordinária". "É algo que devíamos à prelatura do Opus Dei por (San Josemaria) ter nascido nesta terra e cidade e ter deixado a marca desse santuário (Torreciudad). Precisamente, se há algo que carateriza os sacerdotes da Obra é a atenção pessoal aos leigos, o acompanhamento espiritual e, sobretudo, também incidir no âmbito da cura espiritual", explicou em declarações aos meios de comunicação.

Operadores turísticos de peregrinações

Na verdade, o bispo reconheceu que vêm muitas peregrinações e ficam só em Torreciudad. Por isso, adiantou que gostaria e pretende propor aos operadores que promovem peregrinações a Torreciudad que ampliem o programa mais um dia para que essas pessoas também passem por Barbastro, onde além dos primeiros anos de vida de S. Josemaria Escrivá, podem apreciar o Museu Diocesano e o Museu dos Mártires Claretianos.

A rota, que se pode consultar em www.rutadesanjosemaría.es, conta à partida com dez lugares principais da vida do fundador do Opus Dei em Barbastro: a casa onde nasceu em 9 de Janeiro de 1902, com vista para a Praça do Mercado; o estabelecimento onde trabalhava o seu pai, Juncosa y Escrivá; a casa de sua mãe, Dolores 'Lola' Albás, Casa Albás; a catedral e o museu diocesano, onde se casaram seus pais e onde foi baptizado; e o colégio das Escolas Pias, onde estudou.

E também se visita a Câmara, que o nomeou filho predileto em 1947, lhe dedicou uma avenida em 1971 e lhe concedeu a medalha de ouro da cidade em 1975; o museu dos Mártires Claretianos; a Igreja de S. Josemaria, a primeira dedicada a este santo; o mosteiro de Nuestra Señora de El Pueyo, que a família Escrivá-Albas frequentava; e o Santuário de Torreciudad.

Santuário mariano de Torreciudad

Os empresários esperam precisamente poder atrair os mais de 200.000 peregrinos que em cada ano passam pelo santuário mariano de Torreciudad, que completou 40 anos, construído muito perto da antiga ermida, origem da devoção à Virgem de Torreciudad desde o séc. XI.

Encontra-se a 24 Km de Barbastro e a 80 Km de França. Além disso, está situado entre os santuários de Lourdes e o Pilar de Saragoça, o que facilita as peregrinações pela Rota Mariana, que também se ligam com Montserrat, em Barcelona, e Meritxell, em Andorra.

Aos dois anos de idade, quando o pequeno Josemaria adoeceu gravemente e esteve quase a morrer, segundo o Departamento de Informação de Torreciudad, os pais prometeram que se o menino se salvasse iriam oferecê-lo à Virgem de Torreciudad. Curou-se e, em acção de graças, cumpriram a promessa.

Apoio da Câmara de Barbastro

A Câmara de Barbastro também manifestou, através do seu vice-presidente, Sonia Lasierra, o "total apoio" à Rota de São Josemaria, como elemento dinamizador do turismo, da gastronomia e de outras particularidades da zona.

Rodeado pelos vales de Benasque, Arán, Bielsa e Gistaín, o Parque Nacional de Ordesa e a Serra de Guara, a Associação de Empresários de Barbastro pretende, através desta rota, valorizar também outros atrativos que distinguem o município, como o turismo da natureza, com o senderismo e a escalada, a gastronomia própria da zona e o enoturismo.

Na verdade, a denominação de origem Somontano conta com mais de uma trintena de adegas. Finalmente, na zona também se podem visitar outros enclaves emblemáticos como Alquezar, que foi incluída na lista das povoações mais bonitas da Espanha.

Europa Press